Imagem da postagem
No dia 07 de janeiro a Arquidiocese de Aparecida ganhará dois diáconos transitórios: os seminaristas Moises Júnior e Sidnei Lino. A ordenação acontecerá às 17h, na Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, em Guaratinguetá. O ordenante será o Administrador Apostólico da Arquidiocese, Dom Raymundo Damasceno Assis.

Conheça um pouco da biografia dos novos diáconos.

Moisés Júnior
Moisés nasceu em uma família simples, o mais velho de oito irmãos. Os pais se chamam Moisés dos Santos e Vera Lúcia Gonçalves dos Santos e residem no bairro Pingo de Ouro, em Guaratinguetá.

Ele conta que descobriu sua vocação aos 8 anos de idade. “Era muito pequeno e tinha que conviver mais com os meus familiares, mas mesmo assim fui cultivando o desejo pela vida presbiteral e trabalhando ardentemente na minha comunidade de origem, a Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, na cidade de Guaratinguetá”.

Quando completou 17 anos, Moisés decidiu-se por ingressar no Seminário Missionário Bom Jesus. “Comecei, então, uma grande aventura a serviço do Ministério Sacerdotal, com muita luta, oração, esforço e dedicação. Terminei os estudos de Filosofia e Teologia, que são duas faculdades necessárias para aquele que está se preparando para ser Padre”.

Para Moisés é uma alegria ser chamado para estar nesta missão. “A vocação sacerdotal é missionária, pois não nos preparamos para ser “padres Diocesanos” só na diocese e sim onde Deus nos chamar. Isso foi o que aconteceu comigo. Ao término da teologia fui convidado a fazer uma experiência missionária da Diocese de Santarém, na cidade de Prainha, na Paróquia Nossa Senhora das Graças, uma realidade bem diferente da nossa de São Paulo”.

Ele conta um pouco dessa experiência. “Foi uma experiência muito boa porque o Padre é justamente aquele que deve estar no meio dos pobres, daqueles que são marginalizados e excluídos pela sociedade, aqueles aos quais a Palavra de Deus ainda não chegou. E é isso que eu busco ser pobre no meio dos pobres. Esta é a missão com a qual serei ordenado Diácono”.

Sidnei Lino
Nascido aos 24 dias de maio de 1988 na cidade de Guaratinguetá, o seminarista Sidnei Lino da Cruz é o filho segundo (1ª Fabiana e 3ª Aline) de Benedito Sérgio da Cruz e Fátima Aparecida P. Lino da Cruz. Desde seu nascimento residiu na cidade de Guaratinguetá com sua família. Aos 13 anos de idade sentiu em seu coração o desejo de se consagrar a Deus no Ministério Sacerdotal. Porém, não ingressou de imediato ao seminário, pois, todavia não era o momento certo, já que ele não compreendia bem o que significa ser um sacerdote. O tempo se passou, e o Senhor, cada vez mais, colocava em seu coração o desejo de se consagrar totalmente a Ele.

Para compreender melhor o chamado que Deus lhe fazia, Sidnei se dedicou aos trabalhos em sua comunidade paroquial, foi catequista, leitor e acólito. Aos 19 anos de idade participou de um encontro vocacional, ministrado pelo Pe. André Gustavo, cujo tema era “As vocações”. Foi neste encontro que ele, depois de haver escutado sobre a grandeza e beleza de todas as vocações, decidiu dar um passo mais “profundo” a respeito do seu chamado, e no dia seguinte, resolveu buscar o Seminário.

No dia 10 de agosto de 2008 ingressou, com outros três jovens, no Seminário Missionário Bom Jesus, onde iniciou o período propedêutico. Foi um tempo de profunda transformação e crescimento pessoal e vocacional, onde pouco a pouco, foi dando uma resposta mais concreta e livre a Deus. De 2009 a 2011 realizou os seus estudos de Filosofia na Faculdade Unisal de Lorena; e em 2012, abraçando o convite de D. Raymundo Cardeal Damasceno Assis, se mudou para Madrid onde, juntamente com o Seminário Conciliar de Madrid, terminou a sua formação Teológica. Foi um período de cinco anos fora do Brasil; um período de muitas graças e bênçãos recebidas do Senhor, as quais lhe ajudaram abraçar, com toda a sua vida, o Ministério Sacerdotal. Retornou à Arquidiocese de Aparecida no dia 18 de agosto de 2016 e, juntamente do seminarista Moisés, se prepara para ser ordenado Diácono no dia 7 de janeiro de 2017.

Ao longo deste tempo de formação compreendeu que para ser fiel a Deus e cumprir sua vontade é preciso deixar-se ser conduzido pelo Amor de Cristo que tudo transforma e tudo torna possível. Compreendeu, também, o por que quer ser sacerdote: “Quero ser sacerdote porque ser sacerdote me configura com o Senhor, me faz ser mais d’Ele e para Ele, e é isso que o Senhor me pede, pois é o que Ele quer de mim. Quero ser sacerdote porque isso me identifica com Jesus, me faz sentir a Jesus mais íntimo de mim, no mais profundo do meu ser. É assim que eu compreendo a vontade de Deus para mim. Quero ser sacerdote porque ser sacerdote me faz ser mais eu mesmo, me faz ser mais livre, me faz ser mais santo e lutar pela santidade. Quero ser sacerdote para ser mais amigo e servo do Senhor, e assim ser, também, mais amigo e servo de todos os homens”.