Imagem da postagem

Os animadores/as de Grupos Bíblicos de Reflexão devem ser pessoas com: pé no chão, olhos na Bíblia, coração na comunidade, cabeça em Deus. Uma reunião   tem   três elementos: a) Toda pessoa gosta de ser notada, valorizada; b) Todos no grupo querem aprender algo de novo; c) Todos querem aprofundar a amizade. Que isto não falte nas reuniões de nossos grupos de reflexão.

Para uma boa reunião há dez mandamentos: 1o) Não dominar a reunião. 2º) Não distorcer o que foi dito. 3o) Não humilhar em público. 4: Não provocar discussões nem permiti-las. 5o) Não ridicularizar ninguém, nem suas ideias. 6o) Não deixar alguém fazer tudo sozinho o tempo todo. 7o) Não falar rápido e baixinho demais, isso impede a compreensão. 8o) Não sair do assunto do dia evitar as digressões. 9o) Não querer responder tudo, mas devolver a pergunta ao grupo. 10°) Não querer responder tudo Ninguém pode ser especialista em tudo, mas também, não se deve dar respostas erradas.

O ponto alto da reunião é a fala, a participação de todos. O grupo é para falar, não para fofocar. O animador ajuda o grupo a assumir ações concretas, solidárias e fraternas. Na reunião não pode faltar quatro coisas: a oração, a reflexão, a ação e a confraternização.

Grupo Bíblico de Reflexão é lugar de evangelização, é projeto de transformação, é catequese em continuação, é força de libertação, é escola de comunhão, é Igreja em ressurreição, a Igreja em missão.

Ser animador de grupo é um ministério pastoral. O animador/a é um ministro do grupo em nome de Cristo. Todo ministério é uma escolha, uma vocação, um chamado, para uma missão. O ministro está no lugar de Jesus como cabeça do corpo, como alma do grupo, como pastor do grupo, como edificador e construtor da Igreja.

Ministério é serviço, uma diaconia, para a glória de Deus e o bem da Igreja. Um ministro é um sacerdote que faz do grupo uma hóstia viva, uma comunhão de pessoas, uma pequena Igreja. O ministro é como um pai e mãe de uma família. O grupo é uma família de irmãos.  Ministério   é   uma   função sagrada, um sacerdócio, um pastoreio.

Os animadores de grupos são líderes do  grupo  que  a  Bíblia  chama  de “amados de Deus, escolhidos de Deus, santos de Deus, eleitos de Deus”. Ser animador de grupo é um ministério   que Deus   nos confia e nos capacita para bem exercê-lo. Deus ama o povo e por isso escolhe ministros/as para reunir, animar, cuidar do seu povo.

O animador de grupo que é verdadeiro ministro do grupo, age em nome de Cristo e da Igreja. Deve estar em comunhão com Cristo e com a Igreja. Seu trabalho é um ofício de amor e um ofício eclesial. Representa a Igreja e age em nome da Igreja. Todo animador é discípulo de Jesus e servidor da Igreja.

Para exercer o ministério de animador de grupo, Deus dá carismas, dons, capacitação para seus ministros. Os dons são diferentes, para o bem comum. O animador deve ter boa vontade e reta intenção de bem servir o grupo, mas deve também buscar formação e aprimoramento, cultivo e sabedoria, para conduzir o grupo. Grupo de reflexão é para a ressurreição da Igreja.

O ANIMADOR NA BÍBLIA

O profeta. Todo animador é profeta porque age iluminado pela Palavra de Deus, sabe anunciar e denunciar.  Fala   e   trabalha em nome de Deus. Encoraja o grupo a tomar decisões, denunciar injustiças, respeitar direitos humanos. O profeta tem zelo por Deus e firmeza pela defesa da vida.  Clama  por  justiça  e  pelos direitos.  O  profeta tem mentalidade aberta, consciência crítica, senso de justiça, fidelidade a Deus

O sábio. Todo animador está em busca da sabedoria. Procura crescer, cultivar-se, aprender. Coloca em prática a Palavra e anda nos caminhos do Senhor. Pratica a justiça, ama a misericórdia e anda na presença do Senhor. O sábio é comprometido com  o  bem e a verdade, com os mandamentos da Aliança.

O diácono. O animador é diácono do grupo. Resolve as necessidades do grupo, ajuda a manter o bom relacionamento, coloca-se a serviço com disponibilidade e gratuidade. É pessoa de bem, de oração e cheia do Espírito Santo.

O ministro. O animador é sacerdote do grupo. Une as pessoas a Deus, facilita a     oração no grupo, cativa o grupo no seguimento de Jesus, no discipulado. O grupo é uma lgreja-doméstica é o corpo de Cristo. O animador do grupo enquanto ministro ajuda    o grupo a rezar e crescer na espiritualidade de comunhão.

O pastor. O animador é o pastor do seu grupo. Conduz o grupo, vai à frente, doa-se às pessoas. Sua missão é a unidade do grupo, o pequeno rebanho, a Igreja nas casas. O animador- pastor leva as ovelhas às pastagens e as protege do lobo. Carrega o grupo nos ombros e no colo. O pastor é como o Cordeiro, imola-se pelo grupo.

O missionário. O animador assume a missão de animar o grupo e de educar as pessoas para a consciência missionária. O animador é missionário porque cumpre sua missão de liderança e porque é escolhido por Deus, iluminado pelo Espírito e enviado por Jesus, Ele conduz o grupo com ânimo missionário e percebe que a missão de animador é fundamental para uma Igreja missionária. Grupo de reflexão é para impulsionar a missão.

O discípulo. É o animador que faz a leitura orante da Bíblia, é discípulo da Palavra e servidor do grupo. Tem ouvido de discípulo, é aberto para aprender e para mudar. Dá o exemplo de seguidor de Jesus que vive no Espírito. Cresce com o grupo, aprende com o grupo e se alimenta da Palavra de Deus.

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                     Dom Orlando Brandes