Jesus ressuscitou,  eis uma verdade inaudita.  Por  acreditar na ressurreição, os mártires morrem corajosamente na esperança da vida eterna.


A ressurreição é o início de uma nova criação, de um novo estado de vida,  de uma nova dimensão. A força dos missionários tem sua vitalidade na ressurreição. Eles sabem que trabalham por uma causa que já é vitoriosa. A ressurreição é o triunfo da verdade, a invencibilidade do bem, a coroação do sofrimento, o sucesso da matéria, glorificação da criação,  continuidade da vida, mais ainda, festa da vida.


Com a ressurreição tudo se encaminha para o reino da glória, para a cristificação da evolução, para a plenificação da humanidade. Jesus ressuscitado é a maior fascinação da humanidade. Acabou o silêncio do nada, o mal é derrotado,  a morte é vencida, tudo tem futuro, a esperança não desilude. No corpo de Jesus ressuscitado, a matéria, o cosmos, a natureza, o mundo tem seu futuro: o novo céu e a nova terra. Jesus é o bem supremo, o princípio e o fim. Jesus é a paixão pela qual vale a pena encantar-se. Na  sua encarnação e ressurreição, a humanidade alcança o máximo de sua dignidade.


A ressurreição abate três muros: a morte, a injustiça e o fracasso. A  ressurreição é o sucesso da vítima.  Jesus foi vitima da injustiça, mas, uma vez ressuscitado, é esperança e vitória de todos os injustiçados. Em Jesus, a vítima não é perdedora, é vencedora.


Com Jesus ressuscitam suas ideias, seu reino, seu projeto, seu evangelho, sua causa, seus planos, sua Igreja. O primeiro fruto da ressurreição, é a comunidade de fé em torno do ressuscitado, é a Igreja. É  Jesus vivo hoje que reúne as multidões. Ele é a vida. Quem o segue está na rota da vida, da felicidade, da realização plena. Jesus  manifesta hoje sua ressurreição quando cura doenças, perdoa pecados, acolhe com abraço o que volta arrependido; estende a mão ao caído, tem palavras de esperança para os pobres, vai ao encontro do afastado, devolve ao ser humano a dignidade.


Encontramos Jesus ressuscitado no nosso próximo, na palavra de Deus, nos sacramentos, na comunidade reunida, na beleza da criação, nos gestos de solidariedade. Somos testemunhas da ressurreição quando promovemos a vida, defendemos os direitos humanos, consolamos os aflitos, reerguemos os caídos, testemunhamos a alegria, promovemos a reconciliação e o perdão, lutamos contra a fome, a injustiça, a discriminação. Quem está em Cristo é nova criatura. Pela fé na ressurreição somos sentinelas da vida. Nada melhor que Jesus ressuscitado. Nele Deus nos amou de modo surpreendente, original, incondicional, inefável e imensurável. Jesus mostra o que Deus é e o que nós devemos ser. A Ele, eterna  verdade, verdadeiro amor, amada eternidade, a honra, a glória, o louvor; ontem, hoje e sempre.


A fé na ressurreição nos enche de assombro e maravilhamento. Trabalhamos por uma causa que é vencedora. Cabe-nos ser apóstolos da alegria e da esperança. A ressurreição descortina horizontes que ultrapassam a lógica da razão, ou seja, o nada, a morte, o sofrimento  não têm a última palavra. A vida está destinada ao sucesso, à vitória, à plenitude. O Absoluto venceu o absurdo.

 

Dom Orlando Brandes

Arcebispo de Aparecida SP

Abril 2017